Veículos utilitários PEUGEOT: a serviço dos profissionais desde 1896

download-pdf
download-image
download-all
seg, 01/06/2020 - 14:30

 

• Depois de criar seu primeiro automóvel de passageiros em 1890, Armand Peugeot levou menos de cinco anos para desenvolver seu primeiro veículo comercial, o Type 13, projetado para a distribuição de mercadorias e encomendas.

• Com mais de 125 anos de experiência em veículos comerciais leves, a PEUGEOT tem estado na vanguarda de caminhões, furgões e vans que garantiram o fornecimento de produtos básicos e serviços essenciais, como bombeiros, ambulâncias ou forças de segurança.

Atualmente, a PEUGEOT possui uma gama completa de veículos comerciais leves, capazes de atender às necessidades de mobilidade de empresas e profissionais altamente diversificados, com motores e equipamentos tecnológicos confiáveis ​​e eficientes, consagrados como os mais avançados do mercado.



Armand Peugeot se dirigia a um novo tipo de cliente quando projetou e desenvolveu em 1894 o Tipo13. Desde 1890, seus carros eram voltados para indivíduos. No entanto, incluiu entre seus objetivos empresas e profissionais com o Tipe 13 – um  "ônibus de entrega", que podia transportar até 500 kg de mercadorias e desenvolver 3 hp de potência. Com alguns anos de diferença, ele completou sua primeira linha de veículos comerciais leves com o Type 20 (1897-1900), um microônibus de 8 lugares; o Type 22, uma picape (1898), e seu primeiro caminhão, o Type 34 (1900), com a área de carga coberta.

Em 1904, o PEUGEOT Type 64 tornou-se o primeiro caminhão da marca a rodar com pneus. Com uma carga útil de 1.200 kg e um motor de 10 hp, adotou uma estética moderna, longe da aparência habitual de carruagem da época, com um motor frontal vertical e um volante inclinado.

Com o início da Primeira Guerra Mundial, os veículos comerciais da PEUGEOT testaram sua confiabilidade e resistência no campo de batalha. Durante esse conflito, a marca produziu 6.000 caminhões -  da van PEUGEOT 1501 (1914-16) ao imponente PEUGEOT 1525 (1917), um caminhão militar moderno, com área de carga em lona, ​​capaz de transportar 4.000 kg ou um pelotão preparado para o combate.

Todos esses modelos tiveram protagonismo no “Voie Sacrée”, uma rota estratégica de 72 km que ligava a cidade de Bar-Le-Duc a Verdun. 600 caminhões passavam por lá diariamente, transportando 48.000 toneladas de munição e 263.000 soldados durante a guerra, em uma estrada acidentada e fortemente impactada por esse movimento intenso.

 

PEUGEOT desenvolve sua gama de veículos utilitários

Após a assinatura do armistício, a PEUGEOT iniciou uma longa tradição de veículos comerciais derivados dos automóveis de passageiros. Lançado em 1919, o Type 163 foi o primeiro veículo da marca com acionador de partida elétrico e bateria. Ao longo de seus 5 anos de carreira comercial, incluiu em suas gamas versões van e "norman wagon".

Uma estratégia que os modelos posteriores adotaram até os anos 80. Assim, mitos como o PEUGEOT 203, 204, 404, 504 ou 505 tinham uma gama de silhuetas que incluíam caminhões com lonas, chassi de cabine, van e picape. Eles foram comercializados na Europa e também nos principais mercados africanos.

Na publicidade, a marca estava atenta aos clientes profissionais. Assim, em 1937, o PEUGEOT SK3 Boulangère, derivado do 302, foi anunciado, destacando as possibilidades de sua carga útil de 800 kg, capaz de transportar 12 sacos de trigo, 4 barris de vinho de 220 litros ou 6 barris de 200 litros de gasolina.

No entanto, a produção de veículos comerciais PEUGEOT teve que se concentrar em cargas e necessidades menos pacíficas. A ocupação alemã da França impôs a fabricação do DMA (1941-48), o primeiro caminhão da marca com uma cabine avançada, que usava o motor de 45 hp do PEUGEOT 402. Com uma carga útil de 2.000 kg, foi usado pela Wehrmacht em toda a Europa.

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, a PEUGEOT não teve escolha a não ser continuar produzindo esse modelo, uma vez que a fábrica de Montbéliard não possuía ferramentas e máquinas para fabricar outro tipo de veículo. Assim, foram lançadas unidades capazes de rodar a diesel e, a partir de 1946, esse caminhão passou a se chamar DMAH, com a incorporação de freios hidráulicos. Dois anos depois, com uma estética muito semelhante, a marca desenvolveu o Q3A, que apresentava um chassi aprimorado, amortecedores traseiros e uma maior distância entre eixos.

Em 1950, a PEUGEOT adquiriu um modelo de van desenvolvido por Chanard et Walcker, com carroceria monocoque e tração nas rodas dianteiras. O D3, conhecido popularmente como "nariz de porco", nasceu por sua grade volumosa que dava espaço aos motores longitudinais PEUGEOT.

Foram comercializadas versões de van, microônibus, ambulância, transporte de gado... que também alcançaram o catálogo J7 (1965-80), que incorporava melhorias como um piso de carga mais baixo, aprimorado com uma suspensão independente nas quatro rodas. Destacou-se pela excelente confiabilidade e pelas portas deslizantes da cabine.

Seu sucessor, o PEUGEOT J9 (1981-1991), foi o mais recente veículo comercial da marca, com uma cabine avançada. Espaçoso, rápido e confortável, era muito popular para o corpo de bombeiros e unidades de ambulância. Ele continuou a ser fabricado na Turquia até 2010 sob o nome Karsan J9.

Paralelamente, a assinatura do acordo SEVEL entre o Groupe PSA e a Fiat resultou no desenvolvimento do PEUGEOT J5 (1981-94), que deu os primeiros passos com o motor a gasolina do 504 e passou a ter motores turbodiesel, com tração nas quatro rodas, desenvolvidos pela Dangel, além de uma versão elétrica projetada para grandes frotas.

Em meados dos anos 90, na Europa, a gama de veículos comerciais foi configurada com três modelos: PEUGEOT Partner, PEUGEOT Expert e PEUGEOT Boxer. A marca atribui grande importância à sua gama de veículos comerciais, dotada de desenvolvimentos tecnológicos no mesmo nível da sua gama de automóveis de passageiros.

Nasce a Partner e, com ela, Expert e Boxer compõem a gama atual

Em 1996, com a apresentação ao mercado da Partner, a marca não apenas entrou em um segmento exigente, mas também trouxe uma revolução, oferecendo um veículo projetado, desde o início, como um modelo com identidade própria e não como um derivado dos carros de passeio.

Os engenheiros criaram um utilitário pensando nas necessidades de robustez, volume de carga e desempenho de profissionais de diversos setores.

Atualmente, a PEUGEOT oferece, além da Partner, a Expert, símbolo de robustez e modernidade. Com uma carga útil máxima de 1.500 kg e  uma altura de 1,94 m, é especialmente adaptada aos desafios do tráfego urbano. Esse modelo aproveita ao máximo a plataforma modular EMP2, incorporando equipamentos inovadores no segmento e motor eficiente, que atinge valores de consumo e emissão que a colocam entre as melhores da categoria.

O PEUGEOT Boxer é o maior modelo da gama atual. Além de oferecer a possibilidade de diversos usos e diferentes transformações, incorpora equipamentos pouco frequentes no mercado de veículos comerciais leves, com alto nível de segurança e motor adaptado às necessidades de cada profissional.

Sobre a PEUGEOT

Com sua estratégia tecnológica e a eletrificação de sua gama de produtos, a marca PEUGEOT entra com entusiasmo na era da transição energética. Uma experiência de condução intensa e tecnologicamente avançada, um design elegante e uma qualidade sem concessões constituem o compromisso da marca junto aos seus clientes e contribuem para a emoção proporcionada em cada PEUGEOT. Presente em mais de 160 países com mais de 10.000 pontos de venda, a PEUGEOT vendeu 1.456.453 veículos no mundo em 2019. A PEUGEOT combina em todo o mundo Exigência, Elegância e Emoção com a ambição de ser uma marca generalista premium com vocação e alcance globais.

 

CONTATO

Marcus Brier

Diretor de Comunicação

Fone: (11) 99624-6879

marcus.brier@mpsa.com

 

Giselli Cardoso

Comunicação

Fone: (11) 99655-7962

giselli.cardoso@mpsa.com

 

LINKS
www.peugeot.com.br

Scroll